Piracicaba

.: Febre maculosa: alerta e informações importantes

Data: 11/09/2019

No período considerado de seca, a tendência é aumentar a proliferação de carrapato nas áreas verdes e margens de rios, córregos e lagoas. Em Piracicaba, temos um fator adicional, que é o Rio Piracicaba e as colônias de capivaras que vivem nas matas ciliares, animais hospedeiros dos transmissores da febre maculosa: o carrapato-estrela.

Esses roedores, portanto, ampliam a possibilidade de transmissão da doença por transitarem de um local para outro em busca de alimento. Por isso, a Secretaria de Saúde alerta sobre o risco de contaminação pelo carrapato estrela para quem costuma visitar essas áreas endêmicas.

“É preciso muito cuidado quando se faz uma atividade de lazer com a família em áreas verdes, por exemplo, ou, ainda mais, quando se vai pescar, porque as pessoas ficam expostas ao carrapato”, enfatiza Eliane Carvalho, médica veterinária e coordenadora do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). A orientação da profissional técnica não é de alarme, mas de alerta, para que se evite a permanência principalmente às margens dos mananciais, porque não são seguras.

Em caso de exposição ao carrapato, é fundamental que, logo em seguida, os pais observem se não há nenhum no corpo das crianças e no próprio corpo. Caso seja encontrado, deve ser retirado imediatamente, antes que ele se fixe, tenha contato com a corrente sanguínea e transmita a bactéria causadora da febre maculosa, caso esteja contaminado. Se isso acontecer, os sintomas podem demorar de dois a 14 dias para aparecer.

Caso apresente os sintomas, procure o serviço de saúde mais próximo informando o local onde esteve e se retirou/foi picado por carrapato.

“É importante saber que o famoso micuim também é o carrapato na fase jovem e também transmite a doença se estiver contaminado”, enfatizou a veterinária. “Muitas vezes as pessoas relatam que foram em áreas verdes e pegaram apenas micuim. Na verdade, pegaram carrapato. É preciso ter essa consciência para que se tenha um diagnóstico seguro em caso de suspeita da doença”, detalha.

A técnica explica ainda que além das capivaras, os cavalos também são hospedeiros do carrapato estrela, o que não acontece com os cães. No entanto, eles também apresentam riscos. “Os cães não são hospedeiros e não são agentes naturais no processo de transmissão da febre maculosa. Mas ocasionalmente podem transportar o carrapato contaminado para o local onde vivem, se eles tiverem acesso a áreas de infestação. Com isso, as pessoas que convivem com esses animais domésticos estarão indiretamente expostas ao carrapato”, detalhou Eliane. “Daí a importância de mantê-los sempre limpos”.

Sobre a doença

As equipes de saúde são orientadas para estar atentas ao diagnóstico da doença, seus sintomas e importância de investigar/perguntar sobre picadas de carrapato ou se frequentou áreas onde possa haver presença de carrapatos.

Mortes/ Estatística

Este ano, foram registrados três casos de febre maculosa no município, sendo que dois pacientes evoluíram para óbito e um para cura. Em 2018, ocorreram mais quatro casos, tendo um evoluído para óbito e três para cura .

Transmissão

Para haver transmissão da doença, o carrapato infectado precisa ficar pelo menos quatro horas fixado na pele das pessoas. Os mais jovens e de menor tamanho são vetores mais perigosos, porque são mais difíceis de serem vistos. Não existe transmissão da doença de uma pessoa para outra.

Sintomas

Os primeiros sintomas aparecem de dois a quatorze dias depois da picada. Em média, sete dias depois. A doença começa abruptamente com sintomas semelhantes aos de outras infecções:

1. febre, em geral alta,

2. dor no corpo,

3. dor da cabeça,

4. mal estar generalizado,

5. náuseas,

6. vômitos.

7. Depois, podem aparecem pequenas manchas avermelhadas, as máculas, principalmente nas palmas das mãos e planta dos pés.

 Muito importante destacar: Caso apresente os sintomas, procure o serviço de saúde mais próximo informando o local onde esteve e se retirou/foi picado por carrapato.

Tratamento

O tratamento é feito com antibióticos específicos, iniciado já na suspeita clínica, sem aguardar a chegada de exames que comprovem ou não a doença.

X

Reportar erro!

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente





8 - 0

X

Enviar e-mail para amigo!

O link da notícia será enviado automaticamente





8 - 0

Plano diretor Racismo é Crime Resultados de Exames
Ficar informado sobre Pira ficou ainda mais fácil Semuttran
Webmail
Contato Prefeitura: Tel. (19) 3403-1000
Rua Capitão Antônio Corrêa Barbosa, 2233 - Chácara Nazareth - Piracicaba/SP
2019 - Todos os direitos reservados | Prefeitura de Piracicaba
Desenvolvimento Imagenet