Santa Teresinha ganha Parque Natural: O Parque da Cidade

Autor: MAR

A Prefeitura de Piracicaba lança oficialmente neste sábado (15/03) o Parque Natural Municipal do distrito de Santa Teresinha (Parque da Cidade). A informação é do prefeito de Piracicaba, Barjas Negri. O parque terá o investimento de R$ 700 mil reais, advindos de parceria ambiental com a siderúrgica ArcelorMittal Piracicaba (antiga Belgo). O evento acontece às 8:30 no terreno do próprio parque, na Rodovia SP-304, Km 169. As obras começam em abril.

O Parque da Cidade, que começa a ser implantado, trata-se de uma unidade de conservação, de propriedade do município, com área de quase quarenta hectares, protegida pela Lei 10.845 (de 11/08/2004), estrategicamente situada na confluência dos rios Piracicaba e Corumbataí, no distrito de Santa Teresinha, limitando-se com a rodovia SP-304 (km. 169), no trecho entre Piracicaba e São Pedro, próximo ao trevo de acesso a Charqueada.

As primeiras tentativas de intervenção no local datam do início dos anos 2000, mas somente com o empenho da atual administração que as obras vão sair do papel. Dessa forma, foi elaborado novo plano de ocupação, em 2006, que pretende recuperar o ambiente natural – o solo, as plantas, os animais e a água – restaurando a paisagem, hoje degradada, controlando a poluição e possibilitando o desenvolvimento de atividades de lazer, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população.

A viabilização do projeto tornou-se possível com a parceria da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), com a Arcelor Mittal Piracicaba, uma das principais siderúrgicas da América Latina, que se destaca na fabricação de aços, com capacidade para produzir onze milhões de toneladas por ano. Constituída em dezembro de 2005, reúne três das mais competitivas empresas do setor – ArcelorMittal-Tubarão, ArcelorMittal-Vega e a ArcelorMittal-Belgo. Esta última engloba a unidade situada em Piracicaba, (SP), que produz vergalhões para a construção civil, utilizando sucata de aço como principal insumo em sua aciaria elétrica.

A fábrica teve sua capacidade de produção recentemente duplicada para um milhão de toneladas de vergalhões (a partir de abril de 2004) por ano, após um programa de investimentos, orçado em cerca de cem milhões de dólares. Atendendo seu compromisso de parceria ambiental, a ArcelorMittal-Belgo destinou recursos que hoje somam aproximadamente R$ 700 mil reais  para aplicação no Parque, em contrapartida pela expansão efetuada na fábrica.

Para o secretário municipal de Defesa do Meio Ambiente, Rogério Vidal, a implantação do parque, somada aos demais já entregues à sociedade, constitui um grande salto ambiental, pois ao longo do tempo deverá se tornar um dos maiores parques da região, voltado à educação ambiental, recuperação da fauna e da flora, além de permitir o lazer de toda a população. “Sem dúvida é uma conquista de todo piracicabano”, concluiu.   

De acordo com Delmar Barros Ribeiro, gerente-geral da ArcelorMittal Piracicaba,  empresa que apóia o projeto da Prefeitura, "a ArcelorMittal Piracicaba conhece a dimensão do projeto concebido pelo município e "sabemos que a efetivação do projeto renderá bons frutos, tanto no que diz respeito ao bem-estar da população quanto à educação, pilares nos quais a empresa se apóia e busca em seus parceiros, como a Prefeitura de Piracicaba", finaliza Delmar.

José Alencastro Araújo, especialista em meio ambiente da ArcelorMittal Piracicaba, disse que, "a implantação do Parque Natural Municipal de Santa Teresinha deve trazer inúmeros benefícios para a cidade, pois será um espaço de contemplação, lazer, educação e pesquisa ambiental diversificando, ampliando e recuperando o ambiente natural, essencial para interagirmos com a natureza", frisou Alencastro.

Harmonia com a natureza

            De acordo com o Plano de Manejo elaborado pela empresa Propark Paisagismo e Ambiente Ltda., que há mais de trinta anos atua em Piracicaba na área de macro-paisagismo e conservação da natureza, o primeiro passo para instalação do Parque da Cidade é a limpeza e a sistematização de toda a área, além de seu efetivo fechamento. A seguir, será instalada a infra-estrutura básica (energia elétrica e água) e iniciado o plantio de 40.000 árvores nativas, objetivando recompor a floresta que ali existiu no passado.

            No primeiro ano de implantação, estão previstas, também, a execução do sistema viário interno, incluindo os acessos ao local, a construção da central de serviços, planejado de forma a permitir a realização de múltiplas atividades. “Por ser uma unidade de conservação, o Parque deverá ser utilizado para Educação Ambiental, pesquisa científica e para lazer passivo da comunidade, tais como caminhadas e observação da natureza, consideradas não-impactantes”, explica o engenheiro agrônomo José Flávio Machado Leão, diretor da Propark e coordenador do Plano de Manejo.    

            Segundo ele, a instalação do Parque da Cidade representa um desafio para todos os profissionais envolvidos, porque incorpora alguns conceitos bastante avançados, como o de ecobuilding. Essa tendência preconiza que todas as edificações sejam ambientalmente corretas, integradas ao cenário local, utilizando, sempre que possível, materiais certificados ou provenientes de reciclagem, e empregando processos considerados sustentáveis. Uma construção “verde” inclui, entre outros fatores, a preocupação com conforto térmico, a redução do consumo de energia elétrica e de água, e a eficiência no aproveitamento da iluminação natural. Recomenda-se, também, o aproveitamento de materiais existentes na região.

            Todas as intervenções realizadas no Parque da Cidade são acompanhadas por um Conselho, composto de representantes do Instituto Florestal, da Prefeitura Municipal de Piracicaba e da empresa ArcelorMittal, e têm o aval do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comdema), para que sua instalação ocorra de forma eficiente e transparente.

Imprimir