Piracicaba

.: Palestras enfatizam a importância do acolhimento na rede para fortalecer o aleitamento materno

Data: 06/08/2018

Ao tratar da importância do aleitamento materno para a qualidade de vida dos bebês e a redução da mortalidade infantil em Piracicaba, o secretário de Saúde, dr. Pedro Mello, disse, durante a abertura do ciclo de palestras que aconteceu hoje (06/08) à tarde no anfiteatro do Centro Cívico: “O trabalho da nossa rede deve ser intenso para acabarmos de vez com alguns mitos que ainda perduram e comprometem o desenvolvimento das nossas crianças. As mães precisam saber que não existe leite materno fraco e que somente o aleitamento no peito é capaz de fazer com que as crianças tenham saúde e um nível de inteligência mais elevado”. Pedro Mello disse ainda que há algumas barreiras legais que dificultam o aleitamento natural, como as leis trabalhistas que obrigam as mães a voltarem ao trabalho antes dos seis meses, “tempo mínimo em que o aleitamento deve ser exclusivo, sem qualquer outro complemento alimentar”.

O pediatra Rogério Tuon, coordenador do Pacto Pela Redução da Mortalidade Infantil, enfatizou em sua palestra a importância da amamentação: “Ao recepcionarmos as mães nos postos de saúde e hospitais não podemos mais falar em seis meses, temos de falar em dois anos ou mais amamentando no peito. E explicamos posteriormente a elas que nos seis primeiros meses a amamentação deve ser exclusiva”. Segundo Tuon, quando se enfatiza primeiro os seis meses, as mães acabam achando que esse é o tempo suficiente e não é. “O aleitamento materno deve ocorrer durante o período que a criança quiser. E essa relação mãe e filho pode durar mais de dois anos, sem o menor problema. Muito pelo contrário, alongar o tempo de amamentação é muito bom para o desenvolvimento da criança. É claro que as mães também precisam querer. Mas a nossa parte é deixar claro que o tempo pode ser dois anos ou mais”. A ênfase de Tuon foi para que os profissionais da rede de saúde se atentem, ao recepcionar as gestantes e puérperas, para a redução da mortalidade infantil, que tem uma relação direta com os cuidados no pré-natal e na primeira infância.

A segunda palestrante, Letícia Maria Usberti Elias, psicóloga do Centro de Prevenção e Promoção de Saúde, do Saúde Inteligente da Santa Casa, enfatizou a postura e a prática do profissional de saúde durante o acolhimento. “A paciente, ou melhor, a gestate ou a mãe que acabou de ter um filho, chega em busca do que ela não sabe e acredita que vai se encontrar com um suposto saber. Ela chega insegura e vulnerável. O profissional precisa estar preparado para ouvir essa mãe e transmitir a ela todas as informações fundamentais, para que a relação dela com o bebê se desenvolva da melhor maneira possível. É comum essa mãe se sentir pressionadas por parentes e amigos com informações que não são as melhores e o profissional precisa estar ciente de sua função e orientar essa mãe para que ela saia consciente da consulta sobre o que fazer para o bem dela e de seu bebê”.

Após a palestra foi feita uma mesa redonda, em que todos os profissionais da rede de saúde participantes pudessem tirar suas dúvidas. Participaram do encontro mais de 120 profissionais, representantes da rede pública e dos três hospitais que trabalharam em parceria para a realização do evento: Santa Casa, HFC e Unimed. A coordenadora da Atenção Básica, Tatiana Bonini, foi também a coordenadora das atividades da tarde.

Além dos palestrantes, participaram da composição da mesa redonda as seguintes profissionais: Dayse Ruiz Feitosa, enfermeira obstetra da Medicina Preventiva da Unimed; Patrícia Cazzonatto, enfermeira obstetra, coordenadora da Maternidade da Santa Casa; Dayane Rocha Ferreira, enfermeira do Banco de Leito do HFC; Angela A. C. Furlan Buzzo, enfermeira da Secretaria de Saúde, e Marli Bragato Carrara, enfermeira do Pacto Pela Redução da Mortalidade Infantil.

SMAM – O ciclo de palestras desta segunda-feira faz parte da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM), realizada em todo o mundo no período de 01 a 07 de agosto, mês denominado Agosto Dourado pela sua relação com o leite materno, considerado um alimento padrão ouro para a primeira infância e de extrema importância para a redução da mortalidade infantil.

Em Piracicaba, a semana integra as atividades referentes ao mês de aniversário de Piracicaba, que está comemorando 251 anos. Ao longo deste mês todas as unidades de Saúde da Atenção Básica estarão desenvolvendo atividades em suas respectivas unidades envolvendo gestantes, puérperas e profissionais da saúde, com a finalidade de enfatizar a importância do aleitamento materno, sempre dentro da temática central “Amamentação: alicerce da vida”.

MAMAÇÃO – Amanhã, 7 de agosto, a partir das 13h30, na Estação da Paulista (Espaço Gare), será o encontro de mães e gestantes, em um evento que envolve toda a rede de saúde do município, quando os profissionais da saúde proporcionam um momento para troca de experiências entre gestantes e nutrizes e informações sobre a importância da amamentação. O momento de destaque do encontro é quando todas as mães amamentam ao mesmo tempo, construindo um cenário marcante e simbólico em defesa do aleitamento materno.

X

Reportar erro!

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente





1 + 1

X

Enviar e-mail para amigo!

O link da notícia será enviado automaticamente





1 + 1

Plano diretor Racismo é Crime Resultados de Exames
Campanha Sinal Aberto pra vida
Webmail
Contato Prefeitura: Tel. (19) 3403-1000
Rua Capitão Antônio Corrêa Barbosa, 2233 - Chácara Nazareth - Piracicaba/SP
2018 - Todos os direitos reservados | Prefeitura de Piracicaba
Desenvolvimento Imagenet